É conhecida pela “cidade branca” do Alentejo, em parte devido ao seu branco casario espalhado pela colina, mas também pelas suas jazidas de mármore branco, com uma exploração tão antiga e conceituada.

A cidade está rodeada por por dois conjuntos de muralhas, as primeiras do século XIII em redor da vila velha, situada junto ao castelo, e uma segunda cintura de muros fortificados e baluartes erguida para proteger a parte baixa da localidade, durante a Guerra da Restauração (1640-48).

Esta região prima pelos seus trabalhos populares e a qualidade dos seus artesãos, e pelos bonitos trabalhos em Barro Vermelho, em madeira, em chifre e em cortiça.
Inolvidável é a saborosa gastronomia Alentejana feita com os produtos da região, como o “ensopado de borrego” ou os “pézinhos de coentrada“, a “sericaia“ para a sobremesa, e os afamados vinhos desta Região Demarcada de tão grande qualidade.